Durante o verão, a ocorrência de chuvas e tempestades aumenta. Aqui no Brasil, a falta de estrutura e planejamento das cidades faz com que isso seja sinônimo de enchentes e alagamentos. Ao atravessar uma enchente de carro, o motorista está sujeito ao risco de entrar água no motor, o chamado calço hidráulico.

À vista disso, o mais seguro é evitar os trechos alagados, porém, se seu carro foi atingido por uma enchente e você não conseguiu realizar o desvio, confira aqui o que deve fazer para reverter os danos!

Calço hidráulico
Depois de um alagamento, esse é um dos problemas mais comuns causados no carro. Acontece quando a água entra pelo escapamento do veículo e consegue alcançar o motor. Para verificar se houve entrada de água no sistema de admissão, é preciso procurar um mecânico.

Quando o motor está em funcionamento normal, o pistão comprime somente ar e combustível. Porém, quando ocorre calço hidráulico, também haverá água na compressão, que é uma substância que apresenta muita resistência.

Podem acontecer outros danos ao motor quando houver compressão da água por parte dos pistões, como a quebra da biela, afetando o movimento do virabrequim e provocando o travamento do sistema.

Danos instantâneos
Após atravessar uma enchente, existem algumas avarias que podem acontecer imediatamente e desaparecer depois de algum tempo. Mesmo por um curto espaço de tempo, deve-se tomar bastante cuidado — já que elas podem causar acidentes mais sérios.

Freios
Durante a enchente, pode ocorrer encharcamento das pastilhas e lonas de freio, afetando a capacidade de frenagem. Por isso, o motorista deve ter alguns cuidados até que o sistema de frenagem volte ao normal.

É recomendado transitar em velocidades baixas e pisar no freio, sem frear totalmente, em uma distância de 40 a 50 metros. Essa atitude esquentará o disco e as lonas e também limpará as impurezas que acumulam neles. Depois de seguir essas instruções, os freios devem voltar a funcionar normalmente.

Embreagem
Em alguns carros, pode entrar água na embreagem. Se isso ocorrer, a embreagem perderá a aderência por um tempo e começará a patinar. Isso será normalizado quando o sistema estiver seco.

Correia
Outro problema comum é a perda de aderência da correia poly-v. Essa correia mantém em funcionamento alguns acessórios do veículo, como alternador, direção hidráulica, ar-condicionado e bomba de água.

O motorista pode perceber mau funcionamento na direção hidráulica e no motor, mas esse problema também se normalizará sozinho após alguns minutos.

Sistema elétrico
É preciso também dar atenção especial ao sistema elétrico do veículo, pois a água pode causar curto-circuito e queimar a parte elétrica. Normalmente, esse sistema apresenta uma boa vedação, mas conferir nunca é demais. Fique atento para o mau funcionamento dos componentes, como lâmpadas e buzina.

Outros indícios
Existem ainda alguns outros indicadores de que a água pode ter entrado no sistema, como barulhos incomuns, e que poderão apresentar danos ao veículo mesmo depois de muito tempo. Portanto, é recomendada a verificação de outros itens.

Óleo do motor
Água misturada no óleo do motor é algo realmente preocupante! Isso pode ocorrer após trincos no cabeçote ou no bloco, dando espaço para o líquido entrar no compartimento. Verifique a consistência do óleo do motor — assim, você garante que tudo esteja nas melhores condições na hora de usar o veículo.

Como se faz essa verificação? Simples! Puxando a vareta do óleo. Caso a haste venha como de costume, suja com um óleo viscoso e escuro, pode ficar tranquilo, pois tudo está correto.

Porém, caso o óleo apresente uma cor mais esbranquiçada, com bolinhas, provavelmente há água no reservatório de óleo. Isso é um perigo e pode fundir o motor. Leve o carro urgentemente para uma oficina para que o seu prejuízo não seja maior.

Correias
Confira se as correias apresentam um ruído incomum, aparência de ressecamento ou risco de rompimento.

Filtro de ar
Quando o filtro de ar apresenta folhas e barro, pode ser que a água tenha entrado no sistema. Deve-se retirar e enxugar o filtro e depois, provavelmente, fazer a troca da peça.

Acúmulo de água
A água acumulada pode levar à corrosão de algumas partes do veículo. Dessa forma, é importante verificar se há acúmulo em cantos e contornos da carroceria.

Providências pós-enchente
Depois de passar por um alagamento, a primeira medida a ser tomada é entrar em contato com a seguradora, se houver, ou levar o carro em uma oficina mecânica, para analisar o tamanho do estrago causado.

Todos os carros podem ser recuperados, entretanto, quando o valor do conserto fica maior do que 75% do preço do carro, a recuperação é inviável. Se o carro tiver seguro, não se desespere, a maioria das seguradoras cobrem esse tipo de sinistro.

Identificação de um vazamento de água no carro
A água do radiador do seu carro está diminuindo mais rápido do que o normal? Você acha que o motor está esquentando mais do que antigamente? A luz que indica a falta d’água liga corriqueiramente? Então algo está errado e você não deve ignorar!

Provavelmente, o seu carro está com um vazamento de água e isso pode trazer sérios danos ao veículo, inclusive, estragar todo o motor. Isso porque é a água do radiador a responsável por regular a temperatura, resfriando todo o sistema que faz o carro andar. Com a falta do liquido, o resfriamento não é feito e, com isso, a temperatura eleva mais do que o normal.

Geralmente, os carros trabalham com o motor em uma temperatura entre 90 e 102 ºC. Se passar desse valor, provavelmente algo está errado e você pode verificar em casa mesmo antes de levar em um mecânico. A seguir, explicaremos como fazer essa avaliação da melhor maneira!

Junta do cabeçote
Se houve algum tipo de sobreaquecimento do motor, provavelmente aconteceu algum problema na junta do cabeçote. Isso faz com que os líquidos, tanto a água quanto o óleo, comecem a vazar. Essa ineficiência de atuação faz com que haja temperaturas elevadas mais do que o normal. É necessário a troca das peças.

Água pingando no chão
Se o vazamento é grande, fica mais fácil identificar. Um método bastante comum é a verificação debaixo do veículo para saber se há água pingando no chão. Mas cuidado, pois o sistema de refrigeração do carro gera pingos debaixo do veículo e, por causa disso, podem ser confundidos com vazamento. Então, quando for analisar, não utilize o ar-condicionado do automóvel.

Radiador
Menos comum, porém não impossível! Pode ter acontecido alguma perfuração no radiador. Para verificar, com o carro desligado e o motor frio, passe a mão por baixo do radiador para ver se há presença de água na região externa do reservatório. Se houver, é sinal de que há uma perfuração e o acessório deve ser trocado.

Agora, você sabe um pouco mais dos problemas causados pela entrada de água no motor e, também, sobre as consequências da falta da água para o sistema de resfriamento do carro. Depois de ver o quão prejudicial é, fazer as revisões regulares é a melhor maneira de não ter que gastar muito com situações que poderiam ter sido evitadas.

Algumas situações, você mesmo pode fazer uma análise, mas, caso tenha qualquer dúvida ou tenha detectado o problema, levar o veículo ao mecânico de sua confiança é a opção certa a se fazer.

Gostou do nosso post? Já entrou água no motor do seu carro? Conte para a gente nos comentários!